Disfunção erétil e Impotência masculina: O que me acontece?

Rate this post

A disfunção erétil (DE) afeta 2 de qualquer 10 homens, há estatísticas que, em maior ou menor intensidade deve chegar a afetar a 40 % de homens com mas de 50 anos. Agora é uma doença que na maior parte dos casos, você deve tentar. Conquanto , não obstante sua freqüência, unicamente 10% dos homens vão ao urologista recebe tratamento ulterior.

A maior parte dos casos podem ser resolvidos nos dias de hoje, conquanto, a imensa maior número dos pacientes não buscam a solução por diversos motivos, o mas essencial de a humanidade é a vergonha o reconhecimento em público (o dr. o parelha) da doença. um paciente nos consulta por disfunção erétil vemos casos que vão a partir de obstáculos leves com ereções de menor qualidade do que o habitual até outros casos quando existe detumescência extemporâneo (a ereção desaparece de antemão do que o desejado), mostrando pela falta de ereção totalidade (anerección). Na maior número dos casos, o obstáculo deve ser resolvido de uma forma satisfatória para o paciente, recuperando a sua libertinagem , sobretudo, a em si mesmo.

Varias vezes o entrave nem continuamente ocorre ou possui uma sustentação orgânica, quer dizer, o mecanismo da ereção está a funcionar corretamente, pelo que se conseguirmos restabelecer a prostituta (bloqueio anímico) o paciente não terá que recorrer já continuamente a tratamentos para conseguir uma boa ereção , desta maneira, uma relação sexual satisfatória.

fig1

De todas formas, há que expor que em por volta de 80% dos casos DE há uma justificação física ou orgânica oculto, como por ex, diabetes, hipertensão arterial ou um entrave cardiovascular em por norma geral. Esta última justificação costuma ser realmente freqüente.

O que é a disfunção erétil como vamos poder definir?

A definição é bastante fácil:

A DE é definido como a falta ou inépcia persistente no tempo para conseguir sustentar uma ereção que permita uma relação sexual satisfatória.

A ereção deixa que o pênis mantenha a sua função normal. A estimulação excitação sexual fazem com que o cérebro, os nervos, o coração, os vasos sanguíneos os hormônios funcionam em conjunto para fabricar um rápido aumento do recheio de sangue que flui para o pênis. O sangue estaca recluso nas duas câmaras fofas do corpo do pênis. Conforme os corpos cavernosos do pênis se enche rápida de sangue, se expandem o pénis aumenta sua rijeza sua dimensão. O resultado é uma ereção.

figura2

Se bem a DE é um obstáculo benigno, ela possui um impacto essencial na qualidade para toda a vida do varão de seu parceiro. Por consequência, é essencial que o paciente seja medido de modo apropriada por um urologista, de antemão de determinar o tratamento mas adequado.

Quem é afetado quais são as possíveis causas?

Causas orgânicas ou físicas:

Em 80% dos casos se conhece a justificação da DE responde a um entrave orgânico ou físico. Nestes casos, o varão sustenta um instinto sexual ou libido normal, desta forma, retém a vontade de ter relações sexuais. Várias dessas causas são:

  1. Alterações delego sanguíneo: a do que ocorre em outras partes do corpo, as artérias que levam sangue para o pênis deve suportar alguma diferença, com o consequente efeito sobre a ereção. Poucos fatores de risco são a idade, a hipertensão arterial, o colesterol proeminente, tabagismo, diabetes, etc., 6 de qualquer 10 casos DE ocorre por causa de um entrave vascular, que ocorre devido do estreitamento que sofrem as artérias do pênis (lembre-se que são milimétricas) são as responsáveis por transportar o sangue para o pênis. Placas de ateroma (aterosclerose) depositadas sobre a parede dos vasos sanguíneos que vai diminuindo o seu calibre impedindo a passagem de sangue.As placas de ateroma (aterosclerose) que se formam ao longo dos anos, de modo progressiva, em uma ou numerosas partes do corpo, frequentemente nas artérias que vão para o coração, as pernas, o cérebro o pênis. Com o passar do tempo, essas placas de ateroma aumentam de tamanho, produzindo um estreitamento de uma ou mas artérias.
  2. Lesões neurobiológicas (por ex, no cérebro ou medula espinhal). Por ex, um paciente lesionado indispensável (paraplegia) por acidente de trânsito.
  3. Diabetes mellitus. Trata-Se de uma das causas mas comuns devido ao comprometimento vascular, que ocorre em estágios avançados da doença.
  4. Intervenções cirúrgicas: por ex, o tratamento da próstata por um tumor maligno que seja de modo cirúrgica (extirpável) ou por intermédio de outras modalidades terapêuticas (braquiterapia, radioterapia). Há que ressaltar que isso não acontece em casos de cirurgia pelo prolongamento benigno.Tratamento do câncer de próstata por intermédio de braquiterapia: implante de sementes radioativas na próstata, que ocasionam complicações de ereção.
  5. Hipogonadismo (Déficit de testosterona: A testosterona, que é o hormônio masculino por vantagem regula processos do corpo, como a treinamento dos músculos, a regulação da obesidade da insulina, a função sexual. Desta forma, a diferença de seus níveis cria efeitos adversos, que podem variar a partir de distúrbios que afetam a qualidade para toda a vida do varão, até doenças graves, como a diabetes mellitus classe II doenças cardiovasculares.Esta doença não só acarreta efeitos negativos no contexto sexual psíquico, porém também deve fomentar desvantagens físicos, como uma subtração da tamanho muscular, o que seguimento em perda de força, aumento da obesidade corporal, singularmente na área visceral, uma subtração da densidade óssea, que deve se tornar fratura patológica.Para diagnosticar esta enfermidade se efetua uma estudo de sangue pela manhã hora, que determina os níveis de testosterona do paciente. Desde cá se inicia um tratamento de alteração hormonal, que consiste no guarnecimento de testosterona exógena para fazer com que o varão recupere os níveis fisiológicos normais de testosterona no sangue.A gestão deste hormônio deve ser conformado por duas vias: a trans dérmico em forma de gel, que é administrada a qualquer 24 horas ou correções a qualquer 48 horas, a intramuscular, a qualquer 10-12 semanas.
  6. Efeitos secundários de determinados medicamentos: antidepressivos, anti-hipertensivos, tratamentos para a úlcera de estômago, número reduzido de diuréticos, etc.
  7. Afronta de álcool, drogas tabagismo. O afronta dessas substâncias deve lesar (endurecer) os nervos as artérias ocasionando uma falta na ereção.
  8. Prática do ciclismo. A postura prolongada sobre um selim de bicicleta provoca pressão sobre os nervos que vão até o pênis.Na aglomeração destes casos (excepto lesões graves ou complicações pós-cirúrgicos) DE costuma evoluir lentamente. É provável que se trate de uma parcial que se agrave com o passar do tempo.
  9. Causas psicológicas : Também contribuem no surgimento de fatores psicológicos (depressão). O stress a impaciência podem resultar em uma perda de libido ou libido sexual. A culpa psicológica é bastante usual nos jovens. Ocasionalmente, o componente psíquico está continuamente presente, não obstante lidar-se de uma de outra natureza, dado que a impedimento de ter uma boa ereção por causas orgânicas se lhe une o componente psíquico por não ser capaz satisfazer o parceiro.

Frequentemente a DE se resolver melhora o estado mental do paciente. Nada obstante, em pequeno número de casos, a DE exacerbar ainda mas essa impaciência ou depressão. O que se torna um círculo vicioso.

Se só se atinge uma ereção satisfatória em pequeno número de situações (por ex, se masturbando ou mas se erguer pela manhã, ou até mesmo de madrugada), o mas usual é a DE estar produzida por um empecilho psíquico mas do que físico.

Várias duvidas respostas interessantes frequentes sobre disfunção eréctil

É verdade que drogas como o Viagra®, Cialis®, Levitra® ou Spedra® podem fomentar a morte por infarto agudo do miocárdio?

Realmente não.

Isso é uma crença geral entre a população, porém não é verdade. Essas drogas são vasodilatadores potentes que em nenhum caso podem fomentar uma angina de peito ou enfarte. Porém o que sim é verdade é que NÃO se devem tomar concomitantemente que os nitratos (cafinitrina, nitroglicerina, etc.) que também são vasodilatadores cuja ação de multiplicar o efeito na própria circulação sanguínea do paciente. Os pacientes com antecedentes ou riscos de complicações cardíacos devem perguntar um cardiologista de antemão de tomar esta classe de medicação.

Placas de ateroma (aterosclerose) depositadas sobre a parede dos vasos sanguñneos que vai diminuindo o seu calibre e impedindo a passagem de sangue.

Esta classe de fármacos, são seguros?

Sim, se prescrito conforme as regras. Precisam de receita médica por uma parte do urologista, porque têm interações com outros fármacos que devem ser conhecidas pelo profissional que prescreve.

Se tomar com regularidade estes medicamentos para as relações sexuais, você vai precisar de qualquer vez mas doses para conseguir o mesmo resultado?

Não. Com estes fármacos não foi documentado o efeito de tolerância. Continuamente causarão o mesmo efeito, embora sejam tomadas de modo periódica.

O gatil lazo deve ser considerada uma disfunção erétil?

Relativamente. Nada obstante, é a menos essencial das mesmas. Deve acontecer por causas psicológicas, por um excesso de impaciência que antecipa falhas de antemão que se produza a mesma impaciência impede o relaxamento necessário para conseguir a ereção. Costuma acontecer em pessoas jovens (com menos de 40 anos).

Você deve ter complicações de ereção com um par sim outra não?

Sim, porém depende do nível de exigência com qualquer parelha. Trata-se de um empecilho de impaciência. Em caso, somente uma disfunção erétil psicológica é de “tira põe” em função do parelha. Nestes casos recomenda-se ir ao psicólogo, sexólogo intelectual–comportamental.

Será que, por muito tempo, deve afetar a disfunção erétil, a relação de parelha?

Em por norma geral sim. Embora com muita freqüência o que mas afeta é o fato de que o varão não almeja enfrentar o empecilho atrasa o ir ao dendrólogo, urologista, psicólogo ou sexólogo atrás de uma solução.

É profícuo que o par saiba que tomo medicação para a disfunção erétil?

Sim, em princípio, na maior número dos casos, é melhor compartilhar esta informação com o parelha.

Drogas, tabaco, álcool podem motivar disfunção erétil?

Absolutamente sim. Frequentemente afeta os vasos sanguíneos (artérias milimétricas do pênis) diminuir a rijeza causando disfunção erétil.

Tratamento do câncer de próstata através de braquiterapia: implante de sementes radioativas na próstata, que causam problemas de ereção.

Se fui operado de câncer de próstata não tenho ereções. Que deve ser a melhor solução?

É verdade que qualquer vez são diagnosticados mas cânceres de próstata mas precocemente, o que resultado em um maior número de curas. Terapias como a cirurgia radical ensejo (prostatectomia radical), por intermédio de cirurgia radical laparoscópica ou por radioterapia convencional ou radioterapia lugar (braquiterapia) com a gestão de sementes radioativas são frequentemente usados no presente para medicar esta doença em uma extensa porcentagem dos casos, ocorre a insuficiência ou disfunção eréctil de 100% após resolver o tumor. Nestes casos a melhor solução é a colocação de uma prótese de pênis.

fig5

Aspecto do aparelho gênito-urinário do varão de antemão após uma prostatectomia radical por câncer de próstata. A lesão dos nervos que afetam a ereção é usual fará com este uma disfunção erétil.

É verdade que a maior parte de impotências são psicológicas?

Sim não. A insuficiência é puramente psicológica em 20 a 50% dos casos. Nada obstante, em 80% dos casos físicos, desta forma, uma justificação orgânica, também existe afetação psicológica.

Há medicamentos que ocasionam ou agravam a disfunção erétil?

Sim. Há um número essencial de fármacos que podem induzir ou exacerbar a disfunção erétil. Entre eles os hipo tensores, diuréticos, antidepressivos, anti-histamínicos, etc., Consulte o seu dr. sobre este efeito secundário. chegar ao urologista dendrólogo, apresente a lista de todos e cada um dos medicamentos que toma.

A disfunção erétil, como é normal, ao envelhecer?

Relativamente. Ser maior não possui porque razão implicar continuamente a suportar de uma disfunção erétil. As ereções podem sustentar até o final da vida. Se é correto que com a idade é necessário um incentivo maior para conseguir a ereção.

fig6

É provável prevenir a disfunção erétil?

Na maior secção dos casos, sim. A disfunção erétil é uma consequência bastante geral de anos de ataque de tabaco de um excesso no consumo de álcool. Se eliminarmos os hábitos tóxicos, vai prosperar o nosso estado físico em por norma geral da construção pouco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.